Escola sem partidos

26 Mar 2016

 

 

Escola Sem Partido: uma de nossas propostas para a educação pública e particular no Ensino Fundamental de Niterói!

Todos sabemos que as escolas e universidades têm um grande número de professores com viés de esquerda e que se utilizam de sua condição de educadores para doutrinar ideologicamente nossas crianças, adolescentes e jovem em geral.

Essa é uma estratégia da esquerda para massificar culturalmente o pensamento marxista, indo de encontro à revolução armada, antes tida como o meio para se chegar ao poder.

Essa massificação cultural foi muito bem elaborada por diversos estudiosos de esquerda da Escola de Frankfurt e, sobretudo, por Antônio Gramsci, e buscou produzir um currículo interdisciplinar que tinha como fim comum o marxismo.

Os estudos dos filósofos de Frankfurt ficaram conhecidos como Teoria Crítica, que se contrapõe à Teoria Tradicional. A diferença é que enquanto a tradicional é "neutra" em seu uso, a crítica busca analisar as condições sociopolíticas e econômicas de sua aplicação, visando à transformação da realidade.

Professores que ensinam com parcialidade, aproveitando-se da vulnerabilidade de seus alunos, praticam atos inconstitucionais e desrespeitam a Convenção Americana sobre Direitos Humanos, que assegura o direito dos pais a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com suas próprias convicções (art. 12, IV).

Apesar de tais condutas serem inconstitucionais, o que observamos hoje é uma educação, tanto no ensino fundamental, médio e superior, que tem doutrinado nossos estudantes com flagrante inclinação à esquerda, transformando os ambientes educacionais em espaços utilizados para reverberar os discursos político-partidários de esquerda e em matrizes de socialistas.

Todos aqueles que demonstram serem contrários às ideologias ensinadas são perseguidos e sofrem até mesmo assédio moral por parte dos professores e alunos.

O Projeto de Lei Escola Sem Partido é um instrumento que tem como uma de suas medidas a fixação de cartazes nas salas de aula e salas de professores com os deveres do professores.

Todas condutas que não sejam compatíveis com esses deveres e que demonstrem a clara intenção dos professores em INFLUENCIAR seus alunos PROMOVENDO suas concepções e orientações políticas, partidárias, ideológicas, morais ou sexuais configuram violação ao princípio constitucional da neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado, à liberdade de consciência e de crença do estudante e ao pluralismo de ideias.

Tratando-se de servidor público, a violação à liberdade de consciência e de crença do estudante configura crime de abuso de autoridade, definido pelo art. 3º da Lei 4.898/65.

Com esses deveres, buscamos ter uma educação imparcial, livre de doutrinações, sejam elas de esquerda ou de direita, deixando o aluno livre para que possa fazer suas escolhas de acordo com seu entendimento e dos seus pais.

http://www.escolasempartido.org/

Please reload

Clique para saber mais