Marxismo cultural e o politicamente correto

20 Dec 2016

 

Muitos já postaram sobre esse caso, mas, lendo essa reportagem vitimista e tendenciosa, não poderia deixar de me pronunciar.

O que faz um idiota que não gosta de regras, disciplina, hierarquia e ordem quando se vê numa instituição que é regida por esses princípios?

 

(a) Aceita todas essas normas, pois, apesar de não concordar com elas, sabe que o militarismo é fundamentado sobre elas;

(b) Não aceita as normas da instituição e pede para sair e tenta uma universidade em que possa viver a vida extravagante e sem regras que ele quer;

(c) Não aceita as regras e desrespeita as tradições e regras da instituição para chocar e afrontar e assim se vitimizar e ganhar matéria de jornal para que ele faça seu showzinho.

 

Meu amigo, estão cagando se você é homossexual, estão cagando se você gosta de se vestir como mulher nas horas vagas, mas o ITA é uma instituição militar e, como tal, é fundamentada na hierarquia e disciplina.

 

O grande problema dessa geração vitimista é querer que o mundo (isso inclui todas instituições) seja desconstruído para que aceitem sua visão ideal de mundo, amam a desordem e o desrespeito com as tradições existentes.

 

Eu sou um grande admirador do militarismo, fascina-me como são disciplinados e firmes, mas JAMAIS seguiria a carreira militar ou faria parte de uma instituição do tipo, sabe por que? Porque eu não tenho essa disciplina e não me adequo a essas regras rígidas.

 

O que mais indigna é que esse indivíduo desrespeitou a entidade, desonrou a história de uma instituição militar vilipendiando suas normas, e ainda se faz de vítima. Se fosse um hetero usando uma roupa destoante e que desrespeitasse o Instituto, seria prontamente punido e com rigor. Mas o politicamente correto tem calado as pessoas, que não sabem o que fazer, acovardam-se diante de um ato de escárnio e desrespeito achando que serão criticados e punidos se enfrentarem o mal silencioso que vem sendo acobertado sob o escudo do combate à intolerância.

 

A maior arma da esquerda é o politicamente correto e todo aquele que discorde de seus atos que intentam gerar desconstrução e destruição serão taxados de homofóbicos, racistas, machistas e toda forma de preconceito que consigam inventar.

 

Cabe a nós estar preparados para enfrentar o gramscismo, assimilar as críticas e ter conteúdo para rebater todos argumentos.

 

Aos poucos vamos demostrando à parcela da população que percebe que há algo errado acontecendo no mundo de que há algo podre infiltrado na cultura, contaminando tudo e se alastrando como um câncer, e se chama marxismo cultural, e sua maior defesa é o politicamente correto.


Matéria completa Jornal Extra

Please reload

Clique para saber mais